artigos 

COACHING - MUDANÇA E RESISTÊNCIA ll
Na maioria das vezes, fazer uma mudança de comportamento é sentida como ameaça porque vai  tirar da zona de conforto, do lugar conhecido. Temos vontade de mudar, mas ao mesmo tempo temos medo. Desejo e medo andam de mãos juntas. É no desconhecido que está o novo. Para mudar é preciso se largar dos braços suaves do conhecido para passar pelos tentáculos do polvo e chegar novamente a uma posição de segurança, mesmo que breve. Mudança é inerente aos organismos vivos, como nós e as empresas ou qualquer rede social. Mudança é inevitável. Na mudança algo precisa morrer, algo precisa ir embora para que algo novo apareça. Se nem gostamos de falar em morte como podemos gostar de mudanças se elas trazem inevitavelmente um tipo de morte? A morte de padrões de comportamento, de processo, de hábitos e crenças.

Se há resistência é porque estamos à busca de algo novo; queremos mudar. O medo é uma enorme resistência. Trazer os pontos de resistência para perto é recomendável, por que só assim podemos ir além. Se dermos força a resistência, se manterá. Entretanto, se a aceitarmos, perderá a força. A transcendência só acontece com a inclusão. “Coma” a resistência, transforme-a em lixo e vá em frente. Resistência é um bom sinal, é um claro indicador de que estamos no caminho de mudança de nós mesmos. Quando você está fazendo um processo de mudança a primeira pessoa que você deve convencer é você mesma. Se não acreditar que a meta é real, que pode alcançá-la e está dentro dos seus mais elevados desejos de realização você não conseguirá a si mesmo e aos outros, se for o caso.